Otimização Automática de Anúncios

Postado por: admin | Data: 4 de janeiro de 2016 | Categoria: Artigo Eduardo Ribeiro
pug fashion

Ontem publicamos um post sobre Plataformas de Anúncios que terminava com uma provocação: a possibilidade de otimizar o anúncio enquanto ele estava sendo veiculado. Algumas empresas já fazem este tipo de otimização e achamos o conceito bem inteligente. O esquema funciona (ou pode funcionar) da seguinte maneira: imagine que você deseja anunciar um determinado produto como, por exemplo, roupas customizadas para cachorro. Como é um negócio familiar você não consegue contratar uma grande agência digital e tem, inclusive, dificuldades para decidir que fotos e textos usar nos seus anúncios.

Em um grande esforço de criatividade (afinal você é muito bom em customizar roupas para poodles e pugs, não em fazer anúncios) você escreve três textos e consegue produzir cinco fotos diferentes. Mas qual dos textos usar? Que fotos serão mais vendedoras? Depois de uma noite em claro tentando decidir você descobre uma aplicação que decide isso sozinha para você. Ou seja, você cadastra todos os textos e imagens e depois de um tempo ela diz que as melhores combinações foram o “texto 1” com a “imagem 3” e o “texto 3” com a “imagem 5”.
Maravilhado com esta mágica você se empolga e passa mais uma noite escrevendo textos e produzindo lindas fotos dos seus bichinhos de etimação vestindo roupas da moda (o poodle “Mike Tyson” e a pug “Priscila”). Na manhã seguinte você tem dez diferentes textos e vinte lindas fotos prontas para serem “otimizadas” pela tal ferramenta.
Mágica? Milagre? Chute? Pode até ser, mas em geral trata-se de um algoritmo de otimização bem simples. Pois bem, no primeiro dia você tinha, na verdade, 15 anúncios (que é a combinação dos três textos com as cinco imagens. 3 x 5 = 15). É muito simples para a ferramenta combinar, gerar e publicar estas 15 possibilidades. Uma vez publicadas, basta que a ferramenta vá monitorando o resultado de cada uma. Em outras palavras, ela vai cortando os anúncios em que poucas pessoas clicam depois de visualizá-lo e começa a publicar cada vez mais anúncios onde a maior parte das pessoas acabam clicando.
Se for um pouquinho mais sofisticada, a ferramenta de otimização vai começar a perceber que determinados perfis de usuários geram um resultado mais positivo com um grupo de anúncios e que outros perfis acabam preferindo outra combinação de texto + imagem. Por exemplo, clientes mais jovens dão mais valor ao texto que apresenta logo de cara o seu atrativo preço e clientes mais velhos preferem os anúncios com fotos fofas e palavras de amor ao pet. Assim, quando a minha avó entrar em um site cujos anúncios são administrados por esta plataforma, mesmo que ela nunca tenha reagido ao seu anúncio é provável que a aplicação escolha a última combinação “texto fofo” + “foto fofa”.
A sofisticação desta otimização pode ser praticamente ilimitada nos dias de hoje, pois pensem que além de decidir a combinação “texto” + “foto”, as ferramentas podem escolher os canais onde o anúncio será publicado, a posição, a hora, para quais perfis de usuários etc. Um perfil de usuário pode ser definido por suas informações demográficas, por sua navegação ou pelo comportamento recente de consumo. Além disso, o próprio algoritmo de otimização pode variar (algoritmo genético, redes neurais e lógica nebulosa são apenas alguns exemplos).
Mas, no final, o que vai importar mesmo é quantos poodles e pugs ficarão mais fashions e fofos com as suas roupas customizadas.
Abraços, bons resultados e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *