Plataforma de Anúncios

Postado por: admin | Data: 3 de janeiro de 2016 | Categoria: Artigo Eduardo Ribeiro

Ano passado o Meio Mensagem noticiou que o iAd, a Plataforma de Anúncios da Apple, estava sendo trazida ao Brasil. Confesso que eu não conhecia esta plataforma, mas estou familiarizado com o conceito e fiquei pensando em como mudou o trabalho do mídia nas agências de publicidade.

Tá bom, a tecnologia mudou a vida de todo mundo. Ter mudado a forma de anunciar (criando novos canais e maneiras totalmente novas de interagir com estes canais) talvez tenha sido uma das menores criadas pela tecnologia na nossa vida. Hoje o ser-humano se relaciona com o mundo (e com outros seres-humanos) usando formas e canais totalmente diferentes e até inimagináveis há alguns anos. Então deve ser muito natural para o mídia de uma agência passar a “autorizar” “anúncios” “diretamente” “em” “plataformas” “de” “novos” “veículos”.

As excessivas “aspas” da última frase são propositais (o revisor do blog deve estar dando pulos de raiva neste momento!!!) porque afinal não é exatamente “autorizar”, não são necessariamente “anúncios” e estas empresas estão muito longe de tradicionais “canais de mídia”! Imaginem voltar no tempo e contar para um publicitário que estava se formando em 1997, começando sua carreira na área de mídia de uma grande agência, e dizer-lhe que dali a quase vinte anos ele estaria “autorizando” “anúncios” “com” “a” “Apple“.

Hã?! Aquela empresa que fabrica computadores que só o pessoal da criação usa? Que futuro maluco é esse? Bem, este futuro é o nosso presente. E neste presente existem “Plataformas de Anúncio” na Apple, no Google, no Facebook… existem também “Hubs de mídia” que reúnem anúncios que podem ser apresentados, por exemplo, no GPS colaborativo mais utilizado.

Mas o que são, afinal, “Plataformas de Anúncio”?

“Plataforma de Anúncio” é um sistema onde é possível cadastrar e administrar anúncios em determinado canal de mídia, majoritariamente digital. Em outras palavras, é um lugar onde se pode configurar parâmetros de apresentação e verba de um anúncio em mídia digital. À priori, espera-se também que esta plataforma ofereça dados de resultado dos anúncios, como a quantidade de potenciais clientes que visualizou o anúncio ou quantas pessoas clicaram na oferta.

As “Plataformas de Anúncio” podem ser fornecidas diretamente pela empresa proprietária do canal, como é o caso do Google Adwords, o Facebook Ad (ou o Atlas) entre outros. Ou existem empresas que oferecem “agregadores” de Plataformas de Anúncio, ou seja, sistemas que gerenciam sistemas que gerenciam anúncios on-line. Estes são os “Hubs de Mídia”.

Pode parecer complicado e, sem dúvida, é um mundo diferente das antigas OPs (Ordem de Publicação) ou PIs (Pedidos de Inserção) que os mídias imprimiam e enviavam para os veículos. Mas é também um enorme e novo mundo de possibilidades que permite, por exemplo, escolher exatamente quem e quantas pessoas você quer atingir, em que momento, com quais anúncios etc. Também cria a possibilidade de se criar robôs que otimizam o anúncio enquanto ele está sendo veiculado. E é aí que a tecnologia mais pode ajudar, mas isso é outra estória (em outro post).

Abraços, bons resultados e até a próxima.

ER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *